Porque Alguns Imóveis Não Aceitam Financiamento?

Porque Alguns Imóveis Não Aceitam Financiamento

Porque alguns imóveis não aceitam financiamento? Vamos mostrar aqui, uma pequena relação de imóveis que não podem ser financiados. O mercado imobiliário é muito complexo, por isso, antes de entrar em um financiamento, devemos entender como funciona todo o processo, para evitar fraudes.

Saiba quais imóveis são impedidos de serem financiados

Os agentes financeiros têm restrições claras quanto às unidades que não podem receber financiamento. Devido à essas regras, esses imóveis ficam impossibilitados de serem recebidos como garantia de pagamento. 

Confira quais são os imóveis que por lei não devem de jeito nenhum receber financiamento:

  • Imóvel gravado com ônus;
  • Adquirido por meio de lote;
  • Imóvel em inventário;
  • Destinado à agricultura;
  • Tem concessão de Direito Real de Uso;
  • Próprio da União, Estado, Autarquia, e Município. 

Sempre que for financiar um imóvel, é fundamental checar informações como esta para não ser barrado, verifique também diretamente com a Caixa quais são suas condições especiais.

Tipos de imóveis que podem ser financiados

Sempre temos que checar quais são as condições de financiamento autorizadas pelo banco, e com imóveis não é diferente. Antes de dar entrada no financiamento, procure saber se o imóvel que deseja comprar pode receber financiamento ou não, agora veja uma pequena lista de imóveis que podem receber financiamento pelos bancos:

  • Imóvel residencial urbano, pode ser novo ou usado;
  • Imóvel comercial(novo e usado);
  • Lote urbanizado;
  • Compra de terreno para construção comercial ou residencial;
  • Adquirir fração remanescente de imóvel.

Outra dica necessária, é pesquisar sobre o preço dos imóveis e ver se os mesmos estão dentro do padrão de mercado, faça uma simulação para ter um planejamento financeiro justo, e não comprometa seu orçamento.

Quais os financiamentos imobiliários que existem no Brasil?

Boa parte dos financiamentos que encontramos no Brasil, cobram juros e podem chegar a ter um prazo de até 20 anos para pagar. Se o imóvel ainda estiver na planta, é possível financiar até 90% de seu valor. Conheça algumas modalidades de financiamento que temos à disposição no mercado financeiro:

  • Sistema Financeiro de Habitação;
  • Sistema de Financiamento Imobiliário;
  • Sistema de Amortização Constante;
  • Sistema Tabela Price. 

Há também, o Sistema de Amortização Crescente, nesta modalidade as prestações são crescentes em até determinado ponto, e depois com o tempo vão diminuindo. Em todos esses financiamentos, existem taxas, parcelas, juros que devem ser avaliados com cautela.

Saiba como utilizar o serviço imobiliário online

Se pretende adquirir um imóvel na zona sul do Rio de Janeiro, e não sabe como proceder, conheça nosso portal e faça seu cadastro para anunciar ou para comprar imóveis, apenas com o pagamento de uma única taxa, realizamos todo o processo burocrático.

Porque Alguns Imóveis Não Aceitam FinanciamentosNossa área de abrangência atinge toda a cidade do Rio de Janeiro, incluindo a zona sul, em bairros como a Barra da Tijuca, e Jacarepaguá. Nosso ambiente é 100% seguro, porque investimos em tecnologia moderna para armazenar corretamente as informações.

Conclusão

Porque alguns imóveis não aceitam financiamento? Confira agora mesmo como funciona nosso portal, e tenha acesso a todos serviços imobiliários sem filas, e sem ter que ir pessoalmente a uma imobiliária de carro ou de ônibus. Procure os melhores imóveis na cidade do Rio no conforto de sua casa!

Qual a Taxa de Juros de Financiamento de Imóveis da Caixa?

Qual a Taxa de Juros do Financiamento de Imóveis Caixa

A taxa de juros de financiamento de imóveis caixa está cada vez mais acessível, e este é um bom momento para quem deseja investir em compra de imóvel. No entanto, para evitar fraudes, devemos seguir recomendações dos especialistas. 

Dicas sobre taxa de juros de financiamento de imóveis caixa

As taxas da Caixa estão cada vez mais flexíveis, porque há uma competição entre as financeiras dentro do setor imobiliário, este ano as taxas da Caixa Econômica Federal oscilam entre 2,95% até 4,95%, o valor a ser liberado para financiamento pode chegar a 80% referente aos valores dos imóveis novos. 

Estas taxas são relacionadas à nova linha de crédito desenvolvida pela Caixa. O prazo para pagamento pode chegar até 360 meses, e os valores devem ser corrigidos mensalmente. A inflação é sempre medida com base no IPCA. 

O anúncio de redução das taxas foi dita pelo presidente Jair Bolsonaro, o objetivo principal da Caixa é aumentar o crédito imobiliário no Brasil, já que em países como EUA e países da Europa, esta participação atinge a casa dos 50%. 

O próprio Governo Federal foi quem autorizou utilizar o IPCA para fazer a correção das taxas, os contratos também são corrigidos com base na Taxa Referencial. Em 2017, houve uma queda da taxa Selic o que possibilitou a  flexibilização do financiamento

As taxas do crédito não poderão ser utilizados no Minha Casa Minha Vida, porque seus juros já são considerados mais baixos. 

Como serão realizados os financiamentos?

O presidente Jair Bolsonaro fez uma breve simulação para mostrar na prática como será o financiamento, veja a simulação a seguir:

  • Imóvel de até R$ 300.000,00 pode ser financiado em até 80%, ou seja, (R$ 240 mil), por cerca de 30 anos.
  • Valor da prestação incluindo a correção da TR R$ 3.168;
  • Prestação com correção do IPCA R$ 1550,00.

É fundamental analisarmos as taxas e os impostos que são cobrados, pois como percebemos eles refletem diretamente no valor das parcelas dos imóveis. Se estiver utilizando os serviços de uma imobiliária, certamente, ela irá te passar todas as informações necessárias para fazer corretamente o financiamento. 

Cuidados ao comprar um imóvel 

Se o cliente for inexperiente, recomenda-se os serviços de uma imobiliária, pois alguns cuidados são necessários para que não haja falhas no processo. É primordial deixar em ordem as certidões negativas, a documentação do vendedor, de quem deseja comprar, e do próprio imóvel, todas essas informações serão protocoladas pelo Cartório de Imóveis. 

Serviços imobiliários no Rio de Janeiro 

Serviços imobiliários no Rio de Janeiro

A cidade do Rio de Janeiro conta com um serviço exclusivo para quem deseja fazer compra ou venda de imóveis, nossa equipe oferece um sistema totalmente seguro para as informações de nossos clientes. As visitas podem ser agendadas direto na plataforma. 

A venda do imóvel também é digital, e não há necessidade de pegar longas filas em cartórios. 

Conclusão 

A  taxa de juros financiamento de imóveis caixa está cada vez mais acessível ao consumidor, e a internet flexibilizou o acesso às imobiliárias, que agora oferecem seus serviços de forma 100% online. A cidade do Rio de Janeiro pode comprar ou vender imóveis com nossos serviços, de maneira prática e sem precisar se deslocar. 

Prós e Contras do novo financiamento imobiliário atrelado ao IPCA!

Os Prós e Contras do novo financiamento imobiliário atrelado ao IPCA

No último mês de agosto, foi divulgado pela Caixa Econômica Federal as novas taxas de juros para o financiamento imobiliário atrelado ao IPCA. Mas o que muda para os compradores? Quais os prós e contras de ter um financiamento indexados a inflação? É justamente o que veremos a seguir:

Financiamento imobiliário atrelado ao IPCA – Prós 

* Redução da Primeira Parcela

No financiamento imobiliário atrelado ao IPCA, o valor da prestação inicial cai praticamente pela metade. No caso de um financiamento com uma taxa mais cara de 4,5%, a queda seria de até 35%.

Já para contatos com uma taxa mais baixa de 2,95% a redução da prestação Inicial pode chegar até 51%. Vale a pena lembrar que nesse caso vai depender do relacionamento do banco com o cliente.

* Menor renda exigida

De acordo com Emilio fugazza, diretor financeiro da Incorporadora Eztec, “um grande benefício dessa nova linha de crédito, é que – como a parcela inicial mais baixa, a Caixa Econômica Federal tende a exigir uma renda um pouco menor, isso vai facilitar que novas pessoas consigam obter o empréstimo com mais facilidade e comprar imóveis com valores mais altos”.

* Mais ofertas de créditos surgirão no mercado

Outra grande vantagem do financiamento imobiliário atrelado ao IPCA é o fato de que irão surgir novos bancos anunciando linhas de créditos semelhantes a esta modalidade, o que vai aumentar cada vez mais as opções de crédito para os clientes.

* Mais opções de bons imóveis

Com o aumento de ofertas para o crédito imobiliário, a tendência é um crescimento significativo na indústria da construção civil. Segundo os especialistas, essa nova linha de crédito da Caixa, terá um impacto significativo na economia do país, aumentando os lançamentos de novos empreendimentos e possibilitando aos compradores boas opções de imóveis.

Financiamento imobiliário atrelado ao IPCA – Contras

Financiamento imobiliário atrelado ao IPCA - Contras

* No final do contrato a dívida será bem maior

De acordo com um estudo realizado pela JP Morgan que analisou os impactos dessa nova linha de crédito para o comprador final, a tendência é que no final do contrato a dívida seja bem maior em comparação aos contratos que são corrigidos pela TR que atualmente está zerada.

* O risco Fica por conta do comprador

Embora o financiamento imobiliário atrelado ao IPCA tem as suas vantagens, ainda assim o comprador deve ter ciência que assumirá algum risco.

Com a incerteza da nossa economia, caso a inflação dispare, automaticamente as parcelas do financiamento irão disparar juntas. O risco fica totalmente por conta do comprador.

Em resumo

Nesse momento a nova linha de crédito da Caixa Econômica atrelado ao IPCA é uma ótima oportunidade de adquirir o seu imóvel com parcelas mais baixas.

Por se exigir uma uma renda menor, as opções de crédito são mais acessíveis inclusive para imóveis mais caros. Se você pretende financiar um imóvel atrelado ao IPCA, é de extrema importância ficar atento ao valor das parcelas + juros.

Antes de fechar qualquer tipo de contrato, é bom fazer uma boa análise todas as possibilidades, é importante levar em consideração fatores externos como alteração na renda da família, saúde, desemprego, entre outros.